Our sectors

To:
enquire@leighday.co.uk
We treat all personal data in accordance with our privacy policy.

Brasil

Últimas notícias 

Escritório de advocacia Leigh Day está investigando, com urgência, a ruptura da Barragem de Fundão no Brasil. Caso você deseje falar com um membro do nosso time, por favor clique em REGISTRAR INTERESSE.
 
Nós defendemos os seus direitos humanos
Nós garantimos que a sua voz seja ouvida
Nós lutamos pelas vítimas e atingidos
Nós agimos pelos vulneráveis



A experiência do Leigh Day em patrocinar casos internacionais de sucesso em matéria de responsabilização de empresas é incomparável. Nenhum outro escritório de advocacia iniciou mais casos contra multinacionais em nome de indivíduos lesados no estrangeiro.
 
O Leigh Day representa indivíduos e comunidades de todas as partes do mundo na luta por seus direitos contra os atores mais poderosos da nossa sociedade: empresas e governos. Nós temos experiência ímpar em lidar com os trâmites jurídicos e também com os desafios logísticos de coletar provas documentais e testemunhais, e trabalhamos com os nossos clientes para lutar por justiça.

Enquanto empresas podem agir dentro e além de fronteiras de forma relativamente simples, podem fazer uso de estruturas complexas para eximir-se de suas responsabilidades. Encontrar advogados locais que estejam dispostos e que sejam capazes de agir contra empresas poderosas pode ser inviável. O Leigh Day foi o precursor da busca por responsabilização de empresas causadoras de abusos aos direitos humanos nas Cortes da Inglaterra e do País de Gales por 30 anos. Nós representamos mulheres, homens e crianças que foram lesados ou que sofreram perdas, em razão das operações de multinacionais britânicas no estrangeiro e no Reino Unido.

Nós trabalhamos com os indivíduos atingidos, comunidades e organizações não governamentais (ONGs), para garantir que empresas britânicas sejam responsabilizadas.

Nós representamos, com sucesso, milhares de pessoas de todas as partes do globo cujos direitos humanos foram violados e cujas terras, saúde e subsistência foram arruinados, em razão de operações de empresas multinacionais britânicas.

Nós obtivemos justiça para mulheres, homens e crianças ao redor do mundo. Independentemente de nossos clientes estarem nas montanhas do Peru, nos pântanos do Delta do Rio Níger, ou aqui mesmo, no Reino Unido, nós os representamos com destreza, paixão e integridade.

Além da tão necessária compensação financeira, proveniente dos casos bem-sucedidos, um resultado importante para nossos clientes, frequentemente, diz respeito à divulgação pública de informações fechadas, retidas por governos e empresas que são demandados. Os autores também têm tido a oportunidade de garantir concessões e pedidos de desculpas de demandados que, até o início dos procedimentos judiciais, negavam a mera existência das injustiças sofridas. 

Nós garantimos a concordância de empresas multinacionais em remediar os danos ambientais que causaram.

Ao abraçar estes casos nós buscamos equilibrar a balança em favor daqueles que foram explorados, ofendidos ou desapropriados, em desfavor de entidades poderosas, sejam elas conhecidas multinacionais sediadas no Reino Unido, ou o governo britânico em si.

Nós obtivemos diversos julgamentos bem-sucedidos na Suprema Corte e na Corte de Apelação do Reino Unido, os quais transformaram o Direito Britânico. Estas decisões elevaram a responsabilização jurídica de empresas e do governo, e fortaleceram o Estado de Direito em benefício dos desfavorecidos e carentes.

Colômbia – BP
Em 1997, a subsidiária da multinacional britânica BP plc conduziu a construção de um canal, na Colômbia, para transportar petróleo não refinado a um terminal de exportação na costa caribenha. Agricultores alegaram que o oleoduto causou danos ambientas de grande extensão e que resultou na perda de produtividade de suas fazendas.

A partir de 2004, o Leigh Day representou um grupo de 54 agricultores colombianos contra a antiga subsidiária da BP. A reclamação dos agricultores foi dirimida após um processo de mediação, em junho de 2006.

O acordo incluiu o estabelecimento de um Fundo de Desenvolvimento Ambiental e Social, em benefício dos agricultores atingidos, em conjunto com um programa de treinamento para eles, que incluiu, por exemplo, como lidar com questões como gestão ambiental, desenvolvimento de negócios e outros tópicos que solicitaram.

Peru – Monterrico Metals
No ano de 2009, o Leigh Day representou um grupo de 33 indivíduos indígenas peruanos na Corte Superior em Londres. A ação foi impetrada contra a matriz britânica Monterrico Metals plc. Nossos clientes alegaram que, após um protesto acerca de questões ambientais, foram torturados, espancados e abusados sexualmente pela polícia peruana e empregados da mina, na mina de Rio Blanco da Monterrico.

Em junho de 2009, o Leigh Day obteve uma medida liminar global de congelamento dos ativos da Monterrico Metals, nas Cortes Superiores do Reino Unido e Hong Kong. O congelamento objetivou proteger os interesses dos nossos clientes, em vista do impacto financeiro gerado pela decisão da empresa de deslocar sua sede para Hong Kong.

Embora a empresa não tenha reconhecido sua culpa, em julho de 2011, três meses antes da data marcada para ocorrer o julgamento, ela firmou acordo confidencial com nossos clientes, concordando em pagar compensação e custas.

Nigeria – Shell
Em janeiro de 2015, a Corte Superior de Londres aprovou um acordo emblemático em um caso trazido pelo Leigh Day, em nome dos residentes da comunidade pesqueira de Bodo, em Ogoniland, no Delta do Rio Níger. A ação foi impetrada contra uma subsidiária nigeriana da empresa multinacional Shell.

A Shell vem extraindo óleo na região desde a década de 1950. Em 2008/2009, dois grandes vazamentos de óleo causaram danos catastróficos aos sensíveis mangues dos pântanos de Bodo, arruinando a subsistência de milhares indivíduos.

Durante anos a Shell fracassou em quaisquer avanços efetivos de limpar a área ou compensar a comunidade de Bodo. O Leigh Day trouxe o caso dos aldeões de Bodo à Corte Superior em Londres. Em 2013, quatro meses antes de o caso ir a julgamento, nós alcançamos um acordo emblemático com a Shell, em nome da comunidade, no valor de 55 milhões de libras esterlinas.

Este valor tem auxiliado os residentes da comunidade de Bodo a ingressar em outras áreas de trabalho enquanto aguardam pela limpeza da área. O Leigh Day pressionou a empresa, incansavelmente, para que efetuasse a limpeza dos vazamentos de acordo com normas internacionais. Como resultado, a comunidade de Bodo está sob abrangente programa de despoluição, executado por especialistas em vazamentos de óleo reconhecidos internacionalmente.

Zambia – Vedanta
O Leigh Day representa 1.826 aldeões zambianos, que agem contra a empresa britânica Vedanta Resources plc (Vedanta) e sua subsidiária zambiana Konkola Copper Mines (KCM), como resultado dos danos às suas propriedades e água em razão de efluentes da mineração de cobre.
As comunidades de Shimulala, Kasoka, Hippo Pool e Hellen alegam que a água poluída tem afetado suas saúdes, implicando em diversas doenças e danos permanentes. A água poluída é sua fonte principal para consumo, lavação, banhos e irrigação das fazendas para agricultura.

A subsistência dos autores depende da agricultura e também da pesca em rios. A alegada poluição devastou plantações e afetou a pesca, gerando impacto significativo nos rendimentos dos indivíduos locais.

Share this page: Print this page